30 de jun de 2010

Classe: Osteichthyes

Os osteíctes (ostes = osso; ictio = peixe) são também chamados de peixes ósseos, pois seu esqueleto é composto basicamente por ossos. Mas há espécies em que o esqueleto é rico em estruturas cartilaginosas. Nos adultos, persistem restos de notocordas na coluna vertebral.
As principais características dos osteíctes são:
  • Esqueleto ósseo
  • Boca anterior
  • Possuem bexiga natatória
  • Possuem opérculo grande com brânquias
  • Corpo geralmente coberto por escamas de origem dérmica, que podem ser de três tipos: ciclóide,ctenóide, ganóide. Existem osteíctes de pele lisa, sem escamas.
  • O maior grupo de todos os vertebrados é o grupo dos osteíctes. Vivem em água doce e no mar, e podem ficar até cerca de 9 mil metros abaixo da superfície dos oceanos.

Os peixes ósseos são divididos em 2 grandes grupos:

Actinopteygii (actinos = raios; pterygium = nadadeira)
Os actinopterígeos, como o próprio nome diz, são peixes de nadadeiras raiadas (sustentadas por raios). São ovíparos, embora agumas (poucas) espécies são vivíparas. Em seu estágio jovem são denominados alevinos. Nesses peixes, a bexiga natatória tem a finalidade de controlar a densidade do corpo (mas em alguns pode funcionar como pulmão). Em alguns actinopterígeos, que vivem em rios de regiões tropicais, surgiram a faringe e o intestino irrigado. Estão representados pela sardinha, salmão, truta, moréia, peixe-papagaio, entre outros.

Sarcopterygii (sarcos = carnoso)
Os sarcopterígeos possuem nadadeiras carnosas (sustentadas por ossos que se assemelham aos dos membros dos tetrápodes). A partir disso, acredita-se que os anfíbios teriam surgido de um grupo primitivo de sarcopterígeos que viviam em águas rasas, respirando por brânquias e por pulmões. Atualmente estão representados por apenas quatro gêneros que podem ser classificados em dois grupos: Actinistias e Dipnoi.

"Os actinistias eram considerados extintos até 1938, quando um exemplar desse grupo foi capturado vivo a cerca de 200m de profundidade, ao largo do arquipélago de Comoroa, na África. Analisado por especialistas foi denominado Latimeria chalumnae. Desde então já foram capturados no mesmo local cerca de 150 indivíduos com tamanho entre 75cm e 2m de comprimento. As latimérias possuem fecundação interna e são vivíparas."


Os Dipnóicos são peixes pulmonados. Possuem brânquias reduzidas, insuficientes para as suas necessidades respiratórias. É obrigatória para eles, a respiração aérea realizada pelo pulmão. Diferente dos demais peixes, os dipnóicos possuem narinas que se comunicam com a faringe através das coanas. Em relação à reprodução, os peixes pulmonados são ovíparos.
(Escrito por Manuela Stocco e revisado pelo grupo)
Fonte: "Peixes" (Aymon Macedo Diniz F., editora ática) e Bio II (Sônia Lopes, editora moderna)

Nenhum comentário:

Postar um comentário