2 de jun de 2010

Para início de conversa...

O ser humano está sempre fazendo divisões de tudo o que os cerca. Seja pelas características físicas, personalidade, modo e ambiente em que vivem, entre outros.

Devido à grande variedade existente de seres vivos, os cientistas viram a necessidade de ter cada ser vivo dividido em grupos e subgrupos, para facilitar seu estudo e dos demais seres semelhantes, com isso surgiu a Taxonomia, a ciência que classifica os indivíduos.

A primeira tentativa de classificar as 10 milhões de espécies do mundo foi feita pelo filósofo Aristóteles, que classifica os animais em: com ou sem "sangue vermelho". A partir do século XVII surgiram novos conceitos de divisão. O conceito de espécie foi criado pelo naturalista inglês John Ray, e a partir dessa classificação, os seres vivos começaram a serem separados de acordo com sua história evolutiva e desenvolvimento embriológico.

A Taxonomia teve um grande avanço a partir do livro Systema Naturae, publicado em 1735 por Carl Von Linné (mais conhecido como Lineu), em que se falava sobre a divisão dos seres vivos em 3 reinos: Animal, Vegetal e Mineral (atualmente os reinos existentes são: Animalia, Protoctista, Monera, Fungi e Plantae) e a divisão em: Reino, Filo, Classe, Ordem, Gênero e Espécie. Desde então esse sistema binomial e a forma de divisão foram usadas na classificação, sendo o primeiro nome do ser vivo indicando o gênero (primeira letra maiúscula e as demais minúsculas) e o segundo a espécie (em letra minúscula), ambos em Latim e escritos em itálico ou grifados.

A unidade taxonômica fundamental é a espécie, que agrupa os seres vivos que possuem as mesmas características cromossômicas, anatômicas e fisiológicas semelhantes, além de principalmente terem a capacidade de, a partir do cruzamento, gerarem descendentes férteis. Assim, espécies que apresentam algumas características em comum são agrupadas em gêneros que por sua vez são agrupados em famílias que serão agrupados em ordens fazendo uma classificação crescente (de espécie até reino).

Neste blog trabalharemos com o filo dos Cordados, que são animais que possuem notocorda, tubo nervoso dorsal, fendas branquiais e cauda pós-anal, em pelo menos uma fase de suas vidas.

(Escrito por: Yasmin Aguiar e Gabriel Costa, revisado pelo grupo)

Um comentário: